Esalq > Destaques



  2017

CALQ faz 100 anos

Aproxima-se a data de comemoração do centenário de um dos mais antigos centros acadêmicos do País, criado para defender os direitos e interesses dos alunos de Engenharia Agronômica. Em 23 de maio de 1909, nascia pelos acadêmicos da Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz” (USP/ESALQ), o Centro Acadêmico Luiz de Queiroz (CALQ), hoje órgão representativo dos estudantes de Engenharia Agronômica, Engenharia Florestal, Ciências Econômicas, Ciências dos Alimentos, Ciências Biológicas e Gestão Ambiental. (Podcast)

Alunos com personalidades marcantes, que no futuro tornaram-se expressões no cenário acadêmico, empresarial e político, contribuíram para o fortalecimento do espaço que fora inaugurado com a finalidade de se praticar o exercício da cidadania, promover debates e ouvir reivindicações dos estudantes, iniciativa que muito contribuiu para estabelecer uma relação profícua com a comunidade esalqueana e a cidade de Piracicaba.

Desde o princípio, o CALQ contou com a direção de líderes, como é o caso de seu primeiro presidente, Luiz Teixeira Mendes (1909), integrante da 2ª turma de Agronomia. Especialista nas áreas de Fruticultura e Silvicultura, participou da implantação, em 1905, do projeto original do Parque da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz, idealizado pelo arquiteto-paisagista belga Arsênio Puttemans e inaugurado em 1907. Aos 68 anos, passou a prestar serviços em Maringá (PR), onde criou o Horto Florestal e, mais tarde, um plano completo de arborização daquele município. Para homenageá-lo, foi dada a denominação Dr. Luiz Teixeira Mendes, a uma importante avenida da cidade, que não poderia ser outra senão a que conduz ao Horto Florestal, reserva, aliás, que também herdou o nome do engenheiro.

Também líder nato, Philippe Westin Cabral de Vasconcellos, engenheiro agrônomo formado em 1912, atuou com presidente do CALQ em 1922/1923. Foi docente do departamento de Horticultura (1914-1960), Professor Emérito e Diretor da ESALQ e editor da Revista de Agricultura. Foi pioneiro no Estado de São Paulo a destacar o potencial agrícola dos cerrados. Incentivou a fruticultura de qualidade, realizando pesquisas pioneiras sobre a interação entre enxertos e porta-enxertos em citros. Selecionou mutações que deram origem à variedade de laranja Piralima e de caqui Luiz de Queiroz. A Sociedade Brasileira de Fruticultura nominou a variedade de laranja Westin em sua homenagem. Teve atuação decisiva na consolidação do Parque da ESALQ, o qual passou a levar o seu nome a partir de maio de 1986.

Titular da cadeira de Física e Meteorologia da ESALQ, o engenheiro agrônomo formado em 1945, Admar Cervellini, atuou como presidente do CALQ em 1945/1946. Foi grande entusiasta do uso de energia nuclear na agricultura. Integrou a equipe de pesquisadores que formou o Centro Nacional de Energia Nuclear na Agricultura (CNENA), atual CENA, com objetivo de concentrar as pesquisas com auxílio de energia nuclear em um único local. Foi membro do Conselho Diretor na época da fundação do CENA, em 1961, e coordenou a reestruturação do Centro, em 1965, com propósito de adequar as linhas de pesquisa às exigências da época.

Diretor da ESALQ entre 1978 e 1982, Aristeu Mendes Peixoto é engenheiro agrônomo formado em 1949 e presidiu o CALQ na gestão 1947/1948. Sobre o CALQ, o professor Aristeu destaca: “Quando assumi o Centro, estávamos em situação financeira muito difícil e funcionava ainda na rua Prudente de Moraes. Tínhamos biblioteca, sala de jogos, salas de aula para reforço escolar das disciplinas oferecidas no curso aqui na ESALQ. Naquela época o Centro apresentava uma atividade vibrante e todos os estudantes frequentavam diariamente. A ESALQ era a única instituição de ensino superior da cidade e nossa por isso estávamos presentes nos principais eventos socioculturais”.

O apego à ESALQ fez com que Octavio Nakano, engenheiro agrônomo formado em 1956, permanecesse com suas pesquisas no departamento de Entomologia, Fitopatologia e Zoologia Agrícola (LEF), mesmo estando aposentado. Sobre sua gestão como presidente do CALQ em 1955/1956, ele declara: “na minha administração foi criada, com apoio do deputado Luiz Gonzaga, a Semana Luiz de Queiroz, acontecimento que valoriza a Escola e a própria profissão de engenheiro agrônomo, uma vez que permite uma integração muito forte entre alunos atuais e ex-alunos, que trocam conhecimento. O CALQ tinha muita força em manifestações sociais em favor dos movimentos estudantis e acadêmicos. Ao completar 100 anos, a união é o valor a ser praticado como fator de retomada da força dos estudantes em prol dos seus objetivos”.

Roberto Cano de Arruda, engenheiro agrônomo formado em 1963, ocupou o cargo de presidente do CALQ por duas gestões, 1960/1961 e 1962/1963. “Na minha gestão recebemos políticos importantes como o então governador Ademar de Barros e o presidente Juscelino Kubitschek, ocasião em que tornou-se Cidadão Piracicabano em cerimônia em que fui orador. Encontrei-me, em Barretos, com o então presidente Jânio Quadros e com demais colegas solicitamos auxílio para o Centro Acadêmico via Caixa Econômica Federal. Agora, completando 100 anos, o CALQ comemora um século de lutas e glórias, já que sempre nos manifestamos com relação aos fatos mais importantes da sociedade, lideramos o movimento estudantil universitário no interior do Estado de São Paulo. O CALQ tem a responsabilidade de representar o corpo estudantil que usufrui do benefício do ensino público oferecido pela Universidade de São Paulo e garantir que os estudantes retribuam à sociedade o conhecimento adquirido na forma de ensino, pesquisa e extensão, contribuindo com enriquecimento das ciências agrárias e do agronegócio. Cabe ao CALQ marcar sempre a sua presença e sua representatividade política”, conclui Arruda.

“Poucos são os que ainda se lembram da antiga sede do Centro Acadêmico “Luiz de Queiroz”, instalada num antigo sobradão da Rua Prudente de Moraes. Ali funcionou o CALQ desde sua fundação até 1963, quando foi inaugurada a nova sede que a grande maioria dos ex-alunos da ESALQ frequentou até sua recente interdição por questões de segurança”, lembra Cristiano Walter Simon, presidente do Centro na gestão 1963/1964 e formado na ESALQ em 1965.

João Herrmann Neto, engenheiro agrônomo formado em 1968, atuou como presidente do CALQ em 1967/1968. Foi prefeito de Piracicaba entre 1977-1982 e deputado federal entre 1982 e 2009, ano de seu falecimento.

Antonio Carlos de Mendes Thame, engenheiro agrônomo formado em 1969, professor licenciado do departamento de Economia, Administração e Sociologia (LES) da ESALQ, deputado federal, prefeito de Piracicaba de 1993 a 1996, Secretário de Recursos Hídricos, Saneamento e Obras do Estado de São Paulo, nos governos de Mário Covas e Geraldo Alckmin e presidente do CALQ na gestão 1968/1969, enviou mensagem dizendo: "Fazendo jus à grandeza da ESALQ, cujos alunos representa, o CALQ, além da promoção de atividades sociais e culturais, cumpriu seus propósitos de fazer a interface dos alunos com a cidade, de provocar o envolvimento dos estudantes com as causas de interesse público, de estimular o exercício da cidadania, promovendo debates e discussões sobre assuntos relevantes para a sociedade, tendo sido o maior representante dos universitários do interior, na resistência contra a ditadura. Ao comemorar os 100 anos, esperamos que o CALQ consiga, além de construir uma nova sede própria, retomar as atividades que o levaram a ser reconhecido como um dos maiores e mais representativos centros acadêmicos do país".

Antonio Hermínio Pinazza, engenheiro agrônomo formado em 1972, foi presidente do CALQ em 1970/1971. Foi pesquisador, professor, mestre em Economia Rural e doutor em Ciências Agrárias, e autor de 59 trabalhos técnicos e científicos. Lecionou na Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) e Universidade Metodista de Piracicaba (Unimep). Atuava como Secretário Executivo da Associação Brasileira de Agribusiness (Abag).

Enfim, dez personalidades foram destacadas dos cerca de 100 presidentes que o CALQ teve até hoje. A representatividade de cada um deles, bem como a visibilidade que deram ao órgão por meio de suas ações, confirmam a importância deste que possui um arquivo histórico que conta, aproximadamente,
com 200 mil documentos, além de materiais iconográficos e museológicos. Neles estão contidos a história dos estudantes de agronomia e da agricultura do Brasil, o movimento estudantil nacional, o cotidiano da Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz” (ESALQ) e da Universidade de São Paulo (USP).

No acervo, também encontram-se coleções dos periódicos O Solo, publicação com distribuição mundial, que divulgava ensinamentos de uma agricultura carente de literatura, ao mesmo tempo em que apontava os estudos desenvolvidos na ESALQ e, O Arado, publicação que ainda circula no meio esalqueano, criada em 1938, com o compromisso de desempenhar papel fundamental no compartilhamento das idéias e debates tanto das questões internas, como as de interesse mundial, já que O Solo possuía um caráter científico.

Para o diretor da ESALQ, Antonio Roque Dechen, o CALQ representava uma liderança fantástica. “É extremamente importante essa comemoração do centenário, por ser uma das poucas entidades estudantis que chega aos 100 anos, e um dos únicos a manter o nome Centro Acadêmico, uma vez que, nos anos 70, todos foram transformados em Diretórios e o CALQ se manteve. Ressaltamos as ações de cooperativismo, esportivas, atendimento médico e odontológico e atividades culturais que o CALQ desenvolvia nas décadas de 60 e 70, o que representava um serviço de integração com a comunidade acadêmica. Nos anos 70, a sede na rua Voluntários de Piracicaba, era um ponto de encontro do movimento estudantil diariamente. O presidente do Centro era uma autoridade, estava presente nas atividades mais importantes do município. Também passavam pelo CALQ lideranças importantes, tanto nas suas lides estudantis quanto no setor político. Quando em passagem pela cidade, essas lideranças passavam pelo CALQ para proferir uma palestra ou fazer uma simples visita. O CALQ sempre honrou o nome de Luiz de Queiroz e o nome da ESALQ como um todo”. (Podcast)

O atual presidente do CALQ, Samuel Ferreira Balieiro, comenta que é uma felicidade muito grande ser o presidente do CALQ nesse ano. “O CALQ é um dos dois centros acadêmicos mais antigos do país e sempre foi um celeiro de lideranças políticas e agrárias. Tivemos presidentes que se tornaram prefeitos de Piracicaba, como Antonio Carlos de Mendes Thame e João Herrmann Neto. Sempre tivemos muita força aqui em Piracicaba e em nível nacional, desenvolvendo intensa atividade nesses cem anos. O centenário é uma data relevante para toda a classe agronômica e para o movimento estudantil. A história do CALQ se mistura com a da cidade de Piracicaba e esperamos que todos prestigiem as comemorações”. (Podcast)

ATIVIDADES COMEMORATIVAS

De 18 a 23 de maio, serão realizadas diversas atividades como palestras, exposições, debates e confraternizações extensivas aos discentes, docentes, alunos, ex-alunos e toda a comunidade piracicabana.


18 de maio (segunda-feira)

20h30 – Abertura Oficial – apresentação da Orquestra Camerata, parte do projeto “Orquestra do Amanhã”, regida pelo maestro Renato Bandel. Tal projeto é realizado pelo Instituto Baccarelli (São Paulo), com o patrocínio da Petrobrás, no intuito de oferecer às crianças e adolescentes o estudo de instrumentos que compõem uma orquestra sinfônica.
Local: Teatro Municipal de Piracicaba “Dr. Losso Neto”
Ingresso: troca por itens de higiene pessoal, os quais serão doados ao Lar dos Velhinhos.

Pontos de troca: bilheteria do Teatro Municipal ou no Serviço de Cultura e Extensão da ESALQ (SVCEx)

19 de maio (terça-feira)

12h00 – Rucas Musical – com o Grupo Choro de Saia
Local: em frente ao Centro de Vivência (CV) da ESALQ
Realização: Serviço de Cultura e Extensão Universitária (SVCEx) e CALQ

21 de maio (quinta-feira)

12h00 - A universidade em tempos de Crise – debate sobre as lutas do movimento estudantil na atualidade. Temas:
“A crise econômica” – os impactos sobre o orçamento da Universidade. O ICMS, cuja parcela é o único sustento das estaduais paulistas, sofreu uma queda na ordem de 20%.
“UNIVESP” - educação através do ensino à distância nas estaduais paulistas. Na USP, já foram criadas 360 vagas de licenciatura em ciências. Conseqüências para a qualidade do ensino.
“Repressão!” - a retirada de espaços estudantis em todos os campi da USP.
Participação: DCE Livre da USP Alexandre Vannuchi Leme
Local: em frente ao Centro de Vivência (CV) da ESALQ

21h00 - CineCALQ – uma sessão de cinema exclusiva para os estudantes
Local: Cine Araújo – Shopping Center de Piracicaba
Ingresso: R$ 5,00 (preço promocional para estudantes)
Ponto de Venda: CALQ e Lanchonete Marrom Glacê

22 de maio (sexta-feira)

15h30 – Inauguração do Memorial do Centenário
Local: Gramado central da ESALQ

16h30 – Palestra “A Crise e o Agronegócio” – Perspectivas do agronegócio no Brasil e no mundo, com Roberto Rodrigues – Engenheiro Agrônomo formado na ESALQ, em 1965. Ex-Ministro da Agricultura e docente da Unesp.
Local: Salão Nobre da ESALQ

19h30 – Sessão Solene
Sessão Solene em comemoração ao primeiro centenário do CALQ, com homenagens aos ex-presidentes e apresentação do Coral “Luiz de Queiroz”.
Local: Salão Nobre da ESALQ

23 de maio (sábado)

12h00 - Confraternização

Informações pelo telefone (19) 3429-4281.

Texto: Alicia Nascimento Aguiar e Caio Albuquerque
Imagem: Divulgação

   

Destaques anteriores »




Copyright© , Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz"