TUCUM
Bactris setosa Mart.
Sinon.: Bactris anisitsii Barb. Rodr., Bactris cuyabensis Barb. Rodr., Bactris escragnollei Glaz. ex Burret; Bactris fragae Lindman; 
Bactris linddmaniana Drude ex Lindman
Nomes comuns: jacum, coco-de-natal, uva-da-terra, tucum-amarelo.
 
OBSERVAÇÕES ECOLÓGICAS E OCORRÊNCIAS  

Ocorre em toda a costa do Brasil, desde a Bahia até o Rio Grande do Sul. Encontrada geralmente em florestas de lugares mais abertos, quase sempre em vales e áreas úmidas.  

UTILIDADES  

Fruto cometível, e procurados pela fauna. Considerada como oleaginosa, seu aproveitamento propicia a extração do óleo da polpa e da amêndoa. 
É também uma espécie com valor ornamental.  

CARACTERÍSTICAS GERAIS  

Palmeira entouceirada, de 2 a 6 m de altura, com estipe de 3 a 4 cm de diâmetro, espinhoso. Folhas pinadas, limbo, pecíolo e ráquis espaçadamente cobertos por espinhos amarelados, sendo negros na base e no ápice, com 5,5 cm de comprimento, com até 60 folíolos por lado, lineares, regularmente arranjados, posicionados em diferentes planos. Espádice infrafoliar, com 12 a 27 ramos, brácteas pedunculares, moderadamente cobertas por espinhos de 1 cm de comprimento, de coloração amarelada a negra. Frutos globosos, achatados, com cerca de 1,5 cm de comprimento e 2,0 cm de diâmetro, de coloração roxa-escura.  

Flor:  Nos meses de inverno.  
Fruto: De outubro a fevereiro.