Em prol da eficiência agrícola

Em prol da eficiência agrícola

Disponibilizar uma base de dados para identificar regiões do planeta com maior potencial de investimento agrícola, garantindo a segurança alimentar das futuras gerações. Esse é o objetivo do Global Yield Gap and Water Productivity Atlas (GYGA) http://www.yieldgap.org/, iniciativa mundial que envolve pesquisadores de várias instituições. A partir de agora, centros de excelência como a Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq/USP) integram essa rede que busca quantificar a eficiência agrícola, identificar suas causas e sugerir intervenções para elevá-la.

A metodologia GYGA fornece um atlas com estimativas robustas de potencial de produção de culturas inexplorado em terras agrícolas existentes, com base no clima atual e nos recursos disponíveis de solo e água. “O Brasil tem uma vantagem comparativa para a segurança alimentar do planeta devido a disponibilidade de recursos hídricos e terra arável. Contudo, a taxa de incremento da produtividade agrícola brasileira é relativamente baixa, o que tem mantido os níveis de produtividade média bem abaixo dos níveis observados em campos experimentais”, comenta Fábio Marin, professor do departamento de Engenharia de Biossistemas da Esalq/USP, coordenador local do projeto.

No próximo dia 23 de julho, parte da comunidade científica que atua no projeto estará em Piracicaba (SP) para a primeira reunião no país a fim de dialogar sobre o uso da metodologia GYGA, bem como avaliar e apresentar iniciativas em andamento. 

“O objetivo geral do projeto é quantificar o potencial de incremento da produção brasileira e identificar os meios para realizar este potencial mediante a intensificação agrícola sustentável. O projeto terá cobertura nacional e tratará dos principais setores do agronegócio brasileiro, como soja, milho, arroz, gado e cana-de-açúcar”, complementa.

Segundo Marin, o projeto contará com apoio de pesquisadores de diferentes instituições para assegurar a cobertura nacional com elevada qualidade técnica. “No Brasil, o projeto é liderado pela Esalq, mas conta com o envolvimento de outras 3 instituições, a Embrapa, a Universidade Federal de Santa Maria e a Universidade de Nebraska-Lincoln, que trabalharão juntas para realizar as atividades experimentais e propor as ações necessárias para elevar a eficiência agrícola brasileira”.

Na Esalq/USP a reunião ocorre entre 8h30 e 12h10, na Sala da Congregação, localizada no Edifício Central da instituição.

Faça sua inscrição gratuita em http://fealq.org.br/informacoes-do-evento/?id=708 .

 

Programa

8.30-8.40         Abertura

8.40-9.40         GYGA methodology: overview and examples

                        Prof. Patricio Grassini – University of Nebraska - Lincoln

9:40-10.25       Potential for sustainable intensification of rice in Southern Brazil

                        Prof. Alencar Zanon – Universidade Federal de Santa Maria

10:25-10.55      The challenge for quantifying the animal production gap in Brazil

                        Dra. Patricia M Santos – Embrapa Pecuária Sudestte

10.55-11.25      Brazilian Yield Gap Atlas Project

                        Prof. Fábio Marin – Esalq/USP

11:25-12:10      Debate e encerramento

Boletim 230